Como limitar a utilização de recursos de um domínio através do LVE Manager?

De Wiki
Ir para: navegação, pesquisa

O LVE Manager é um serviço do CloudLinux empregado na maioria dos painéis de controle para gerenciamento de domínios, incluindo cPanel e o Plesk, e estará disponível apenas para os servidores que utilizam a template CentOS 7 + Plesk + CloudLinux

Ele permite controlar e monitorar os limites na utilização de recursos do servidor, seja para extrair um melhor desempenho, ou evitar que a utilização excessiva de recursos por algum dos domínios configurados possa prejudicar o desempenho dos demais domínios, ou até mesmo causar a indisponibilidade dos serviços devido ao esgotamento total dos recursos disponíveis do Cloud.


Acessando o gerenciador de recursos LVE Manager

 Para configurar e monitorar a limitação de recursos com o LVE Manager, através do Painel do Plesk clique em Módulos no menu lateral:

Ive01.png


 Clique em LVE Manager para abrir o gerenciador de recursos

Plesk lve02.png


Monitorando a utilização dos recursos em tempo real

Na tela inicial do LVE Manager é possível realizar o monitoramento em tempo real da utilização dos recursos pelos domínios configurados, e através destas informações de monitoramento detectar a ocorrência do consumo excessivo na utilização de algum dos recursos. Lembrando que o consumo excessivo na utilização dos recursos configurados para um domínio podem resultar no retorno de mensagens de erro como "Resource Limit Reached".


 Para iniciar, ao lado do campo Interval é definido o tempo em segundos para a taxa de atualização das informações na tela. Após definido o tempo clique em Start.

Plesk lve03.png


 Iniciado o monitoramento, serão apresentadas na tela somente informações sobre os domínios aonde há utilização de recursos naquele exato momento:

Plesk lve04.png


Configurando os limites de recursos disponíveis para cada domínio

Existem 3 possibilidades para configurarmos os limites de utilização dos recursos para os domínios:

 1. Definir as limitações à partir do perfil DEFAULT;
 2. Definir as limitações através de uma configuração personalizada para o domínio;
 3. Definir as limitações através de uma configuração personalizada para Planos de serviço.


Definindo as limitações à partir do perfil DEFAULT

 Para definir as limitações à partir do perfil DEFAULT, na aba superior clique em Settings e depois clique em Edit na linha correspondente ao perfil VE_DEFAULT:
 
 Descrição dos parâmetros de configuração

NOTA: Os valores configurados para o perfil VE_DEFAULT serão adotados para todos os novos Domínios e Planos de serviço criados.

Lve05.png


Definindo as limitações através de uma configuração personalizada para o domínio

 Para definir as limitações através de uma configuração personalizada para um domínio, na aba superior clique em Settings e depois  clique em Edit na linha correspondente ao perfil contendo o WebID do domínio que deseja personalizar:
 
 Descrição dos parâmetros de configuração

NOTA: Após a alteração dos valores serão indicados em vermelho as configurações atuais dos usuários que ficarem diferentes em relação ao perfil VE_DEFAULT.

Plesk lve07.png


Definindo as limitações através de uma configuração personalizada para Planos de serviço

 Para definir as limitações através de uma configuração personalizada para Planos de serviço, na aba superior clique em Packpages e depois clique em Edit na linha correspondente ao perfil do Plano de serviço que deseja personalizar:
 
 Descrição dos parâmetros de configuração

NOTA: Por padrão, os valores configurados para o perfil VE_DEFAULT serão adotados para todos os Planos de serviço existentes.

Plesk lve08.png


Alterando os parâmetros de configuração

 Após clicar em Edit na linha correspondente ao perfil a ser editado, será exibida a tela para configuração dos parâmetros personalizáveis. A descrição de cada um dos parâmetros pode ser vista logo abaixo:

Plesk lve06.png


Descrição dos parâmetros de configuração

SPEED (CPU)

Os limites de CPU são definidos pelos parâmetros nCPU e SPEED, aonde:


nCPU(Number of cores per LVE) especifica o número de cores (núcleos) de CPU configurados no LVE

SPEED determina qual será o limite (%) de utilização de 1 nCPU para um domínio.


Para um melhor entendimento, vamos utilizar como exemplo um Cloud que possua 2 vCPU (2 vCPU = 2 nCPU) contratadas:

- 25% resultaria em um limite de utilização de até 1/4 de 1 vCPU.
- 50% resultaria em um limite de utilização de até 1/2 de 1 vCPU.
- 100% resultaria em um limite de utilização de até 1 vCPU.
- 150% resultaria em um limite de utilização de até 1,5 de 2 vCPU.
- 200% resultaria em um limite de utilização de até 2 vCPU.


Ao invés de determinar uma porcentagem, também é possível definir um valor fixo em MHz ou Ghz, desde que este seja sempre igual ou menor ao valor total disponível para o seu Cloud. Caso decida optar pela configuração através de um valor fixo, é importante lembrar que cada 01 vCPU contratada equivale 2000 Mhz (2 Ghz).

Quando o usuário atinge o limite de CPU configurada, os processos são suspensos (colocados em espera). Por exemplo, se você definir o limite de CPU em 25% e os processos desejarem utilizar mais do que 25% da CPU, eles não irão obter tempo de CPU para o seu processamento, e novos processos que forem criados poderão ser finalizados pelo kernel do sistema.


vMem (Virtual Memory)

O uso de vMem permite a um domínio utilizar mais memória do que a memória RAM configurada para o domínio, fazendo com que ocorram então o processos de swapping, aonde os dados excedentes são transferidos da memória RAM para uma memória VIRTUAL, alocada na unidade de disco.

Por padrão, no sistema operacional da template “CentOS 7 + Plesk + CloudLinux” estão disponíveis 1024MB para a partição de swap, sendo que este volume também poderá ser requisitado por outros processos do sistema operacional, e ser compartilhado com os demais domínios existentes em seu Cloud.

Configurar uma limitação para a utilização do vMem poderá evitar o esgotamento total deste recurso caso haja utilização excessiva de memória por um ou mais domínios.


EP (Entry Processes)

O parâmetro EP, ou Entrada de Processos, limita o controle para o número de entrada de processos no LVE. Este limite também é conhecido como limite de conexões simultâneas do Apache. Um processo entra no LVE sempre que ocorre uma nova solicitação HTTP havendo requisições CGI/PHP, não sendo contabilizadas neste caso as requisições HTML.

Este limite foi criado a fim de evitar ataques DoS contra o servidor web. Ele limitará o número de conexões simultâneas ao Apache, fazendo com que o servidor web sirva a página de erro 508 (Resource Limit Reached), uma vez que o número de solicitações simultâneas para o site ultrapasse este limite.


pMem (Physical Memory)

O pMem define a quantidade de memória RAM máxima ao qual o domínio terá o direito de utilizar, porém, deve-se lembrar que o recurso de Memória é compartilhado com os demais domínios e serviços do Cloud, e portanto ao definirmos um limite para este recurso não estaremos garantindo a disponibilidade do recurso para o domínio, visto que poderá ocorrer de não haver recurso suficiente a ser disponibilizado.


nProc (Number of Process)

O nProc controla o número total de processos e threads dentro do LVE. Uma vez que o limite é atingido, nenhum novo processo pode ser criado (até que outro morra). Caso o limite seja excedido o Apache poderá retornar erro 500 ou 503 em seu navegador.


IO

Os limites de IO limitam a taxa de transferência de dados (em KBps) para o disco, em operações de leitura ou escrita, não tendo efeito ou relação com a taxa de transmissão do tráfego de rede.

Quando o limite é atingido, os processos são estrangulados (colocados em suspensão), mas não são finalizados, apenas tem a sua velocidade reduzida. Estes limites também não levam em consideração quaisquer acessos ao cache do disco. Assim, mesmo se o arquivo for lido do cache de disco diversas vezes, essa taxa não será contabilizada para limites de IO.


IOPS

Os limites IOPS restringem o número total de operações de leitura e escrita em disco por segundo, ou seja, cada ciclo tem a duração de 1 segundo. Quando o limite é atingido, as operações de leitura e escrita param até que o próximo ciclio se inicie. Por exemplo, se você definir o limite de IOPS em 100, caso o limite de 100 operações de leitura ou escrita em disco seja excedido durante o período de 1 segundo, as próximas operações só serão executadas no próximo ciclo.